FEDERAÇÃO PAULISTA DE FUTEBOL 7 FEDERAÇÃO PAULISTA DE FUTEBOL 7 FPF7
Notícia - 17/01/2018 às 14:16:54
COMITE DE ÉTICA DEFINE PUNIÇÕES
06 pessoas Banidas da modalidade

Por AUGUSTO
SÃO PAULO, SP
06 pessoas Banidas da modalidade (Foto: divulgação)
Comitê de Ética da FPF7S bane ex-colaboradores e ex-representantes de equipes   

O Comitê de Ética da Federação Paulista de Futebol 7 Society (FPF7S) finalizou o processo de julgamento dos casos enviados pela diretoria da entidade. Desta forma, dois ex-colaboradores e cinco ex-representantes de equipes foram banidos da modalidade e todos seus diretos, títulos e cursos foram cassados. De acordo com o presidente Paulo Roberto Antunes, as medidas cabíveis foram tomadas para salvaguardar e manter a ordem da modalidade.   

“Foram encaminhadas ao departamento competente todas as informações referentes aos atos praticados por uma série de pessoas, tanto de quem prestava serviços, como os pseudos dirigentes, mas antes de entrar no mérito da pena acredito que caiba uma reflexão. Nosso esporte é totalmente amador e na sua maioria ou totalidade sem envolvimento direto dos clubes, os de camisas que estão aí, são frutos de parcerias realizadas por nossa entidade com ‘donos de times da modalidade’ que recebem a camisa e jogam com ela. Em alguns casos recebem sem custo, enquanto que em outros pagam pelo uniforme. Na época foi uma visão que a nossa entidade teve para criar apelo para buscar patrocínio e investidores”, explicou.   

Os clubes em questão não tem nenhum comando sobre a equipe, apenas ‘cedem’ os uniformes. “Com isto temos ‘donos de times de bairro e até empresários de jogadores de futebol virando dirigente’, mas aí que mora o perigo, eles não possuem nenhum conhecimento básico de legislação e de como funciona a hierarquia esportiva, criam entidades sentados no bar e chorando as pitangas que querem trabalhar no esporte; este é um fato verdadeiro de um destes pseudos dirigentes comigo. Ele falava meu sonho é trabalhar com isto. Para que todos tenham conhecimento, existe uma pessoa que possui sete entidades (municipal, estadual, federal, internacional de arbitragem de eventos e assim vai....), sim, 07. Não sou o melhor dirigente e nem o pior, mas respeito às leis e cheguei ao cargo estudando e respeitando todas as normas vigentes, ganhando a eleição como deve ser feita e não sentado no bar sonhando em ser dirigente”, acrescentou Antunes.   

A lei é clara e esta aí para todos cumprirem. “Basta estudar e vir participar dentro da forma legal. Mas não, é mais fácil montar outra entidade. Lamento muito esse panorama, pois o nosso esporte, que é muito praticado, vai ficar patinando na ignorância destes pseudos dirigentes que se acham a última bolacha do pacote. Estou cansado de ver abrir entidade todos os dias e ser questionado por Secretários de Esportes sobre isso. Um exemplo muito claro é o que acontece com outras modalidades, como futebol de campo, vôlei, atletismo e basquete, entre outras; mesmo com todos os problemas e as desavenças que estão aí na mídia, os dirigentes não saem por aí criando novas entidades. Arruma-se ou melhora-se, profissionaliza-se a que existe; respeito e hierarquia devem ser seguidos”, explicou Paulo.   

Ao Comitê de Ética foram encaminhamos todos os documentos que comprovam as ações ilícitas destes cidadãos. “Após uma longa pesquisa e estudo dos fatos apresentados e baseados nos códigos, estatutos e regras, inclusive as internacionais, o Comitê resolveu banir os envolvidos – dois ex-colaboradores e cinco ex-representantes de equipes que se auto intitularam ‘dirigentes ou gestores’. Os atos vão desde desvio de banco de dados, alteração e exclusão de mensagens em mídias sociais e sites, não respeito a regulamento, normas e procedimentos e dívidas”, descreveu Antunes.  

Como vários dos punidos atuaram na Confederação Brasileira de Futebol de Sete (CBF7), a Federação Paulista já está notificando a entidade mãe sobre o assunto.

O documento com os nomes e identificação das pessoas foi encaminhado para registro o que tornará um documento publico.
publicidade