Maracanã – Orgulho Brasileiro

O Maracanã, como é conhecido, é o maior estádio de futebol do mundo e um orgulho brasileiro. Saiba um pouco mais sobre esta obra de arte no Rio de Janeiro.

Nome Oficial: Estádio Jornalista Mário Filho

Local: Rio de Janeiro (RJ), Brasil

Inauguração: 16 de junho de 1950

Primeira Partida: Seleção Carioca 1×3 Seleção Paulista

Primeiro gol: Didi (Seleção Carioca)

Proprietário: Governo do Estado do Rio de Janeiro

Recorde de Público(não oficial): mais de 200 000 pessoas – Brasil 1×2 Uruguai, final da Copa do Mundo da FIFA, 16 de julho de 1950.

É uma obra gigante! O ferro utilizado dava para dar mais de uma volta ao nosso planeta. Foi construído para ser o estádio principal da primeira copa do mundo após a segunda guerra mundial em 1950. Na final, mais de 200 mil pessoas viram o Brasil perder por 2 a 1 para o Uruguai. Foi uma partida que ficou para sempre na memória dos brasileiros e para sempre injustamente associada ao Maracanã.

Mesmo assim o Maracanã continuou sendo a referência. Passou a ser um mito. Todo o mundo se rende ao encanto do Maracanã e todos os jogadores e amantes de Futebol querem estar na maior referência do mundo.

Além de futebol, o Maracanã foi, é e será sempre palco de shows sensacionais e todo o tipo de eventos que juntem milhares de pessoas. Já passaram mais de 70 anos desde que foi inaugurado e teve algumas reformas pelo caminho. É um idoso de 70 anos mas com espírito e aspeto de 20 anos!

O maior estádio do mundo

Após a segunda guerra mundial, enquanto as grandes cidades da Europa se estavam recuperado da terrível guerra, a Copa do Mundo foi disputada no Brasil. O governo quis mostrar a capacidade do Brasil e dos Brasileiros e decidiu construir o maior estádio do mundo para o povo que mais ama o futebol. Assim nasceu a vontade de construir o Maracanã. Por decisão política foi determinado que seria construído no Rio de Janeiro, mas especificamente, na zona norte, onde era o Derby Club.

Após concurso, o projeto arquitetônico que venceu foi de Antônio Augusto Dias Carneiro, Orlando Azevedo, Pedro Paulo Bernardes Bastos e Raphael Galvão. Pela sua dimensão, a obra foi entregue a um consórcios de seis empreiteiras. O presidente da FIFA à época, Jules Rimetm comparou o projeto à construção do coliseu de Roma.

Não há números muito precisos sobre o número de trabalhadores que esteve envolvido na obra. Fala-se de 4500, 6500 e até de mais de 11000. É difícil de comprovar o número exato pela quantidade de empreiteiras e sib contratados que estiveram na obra.

O formato do estádio é oval, com cerca de 32 metros de altura e uma capacidade oficial de 155 mil lugares, que seria largamente ultrapassada.
Foi com estes números que o maracanã foi considerado o maior estádio do mundo superando Wembley, em Londres w o Hampden Park na Escócia.

Mas o Maracanã não era apenas o estádio. Tinha uma área envolvente com um Ginásio, um estádio de atletismo, um estádio aquático e um estacionamento. Era uma verdadeiro oásis para o desporto profissional.

O primeiro nome foi Estádio Municipal, mas ficou sempre conhecido como Maracanã por causa do rio em Tijuca. Marcanã-guaçu é o nome de uma ave que veio do norte e que existia no local da construção.

Em 1966 o estádio teve o seu nome oficial como Jornalista Mário Filho em homenagem ao famoso jornalista que foi um dos defensores e apoiantes da construção do estádio.

Demorou apenas dois anos para ser inaugurado no dia 15 de junho de 1950 num jogo amistoso entre as seleções do Rio e de São Paulo, em que São Paulo venceu por 3 a 1, mas o resultado foi o menos importante. O maracanã passou com distinção na prova de fogo de ter uma partida.

O primeiro jogo da copa no Maracanã aconteceu no dia 24 de junho de 1950, com uma grande vitória do Brasil sobre o México por uns claros 4 a 0!

“Neste campo, Pelé marcou, no dia 5 de março de 1961, o tento mais bonito da história do Maracanã”.

Romário marca o seu e encerra o jejum de títulos do Brasil no aniversário do Maracanazo.

Os grandes craques jogaram no estádio e maravilhavam o público. Era a época de ouro do futebol brasileiro que era bonito e encantava todo o mundo.

A geral era o setor mais barato. ali não havia cadeiras nem conforto, mas era onde se sentia o futebol, o cheiro, os gritos, os jogadores o som do chute o arbito. Era o futebol mais puro.

Com as imposições de segurança pela FIFA e por diversas entidades, a geral foi sendo alterada e acabou sendo encerrada em definitivo em 2005 quando o Maracanã foi remodelado para os jogos Pan americanos que aconteceram em 2007.

A grande tragédia

Em 1992, na final do campeonato Brasileiro, entre Botafogo e Flamengo, o Maracanã contava com mais de 120 mil pessoas e cerca de 20 minutos antes de começar a partida o Maracanã mostrou o seu cansaço de 42 anos de poucas reformas. A grade do primeiro degrau da arquibancada cedeu e várias pessoas caíram de uma altura superior a oito metros. Só havia seis médicos e oito enfermeiros para os 120 mil torcedores. As pessoas entraram em pânico e o resultado foi terrível. Três mortos e 82 feridos. Este acidente mostrou que o Maracanã estava ferido e ele também precisava de um reforma profunda.

O Globo Esporte em 2017 concluiu que “a execução do projeto feita em 1979 teve falhas como ausência de colocação de contraporcas (uma segunda porca que se coloca sobre a primeira) e deficiência de drenagem na área de apoio das sapatas. As grades de alumínio haviam sido instaladas 13 anos antes, substituindo as de ferro ainda da época da construção do estádio, em 1950”.

Apesar do pânico, da tragédia e da falta de segurança, a partida acabou acontecendo e o Flamengo foi campeão. Foi uma final diferente com um misto de alegria e muita tristeza.

fla_flu_95_chute_ailton
Fla-Flu de 1995, aquele do gol de barriga de Renato Gaúcho, foi um dos mais apoteóticos jogos do Maracanã em todos os tempos.
O Maracanã era conhecido em todo o mundo. Crianças e idosos de todo o mundo ouviam falar do mítico estádio no Rio de Janeiro. Era tema de muitas pessoas e começou a atrair cada vez mais turistas que visitavam o Rio de Janeiro.

Em 2006, para a final da Copa do Brasil, com o estádio em obras, apenas havia capacidade para 40 mil pessoas. Já não parecia o mesmo estádio mítico.

Maracanã não é apenas futebol

Desde então, o Maracanã segue como um dos mais emblemáticos estádios do mundo e com tanta história que nem um livro com mil páginas conseguiria explicar. Palco dos maiores momentos do futebol brasileiro e do esporte, o estádio é um símbolo que resistiu a um drama sem igual justo no seu nascimento para se consolidar no imaginário popular e no coração do torcedor. Ele é parte integrante do Rio, do Brasil e do futebol. E um estádio que, mesmo após reformas, perda da silhueta linda e da alma que tinha, descaso público e problemas, segue firme e vivo, pronto para o próximo evento, o próximo clássico, a próxima final. Um verdadeiro templo do futebol.